terça-feira, 26 de maio de 2015

[TAG] 5 animações para chorar

 Oi, gente!

Hoje tive a ideia de falar sobre algumas coisas que me fazem chorar, porque vi um vídeo da Pam sobre livros para chorar e eu me inspirei nessa tag para escrever sobre vários outros tópicos começando por animações.

Eu sou uma pessoa bem chorona e o agravante é que eu AMO chorar vendo filmes, com livros ou música. É, sou meio maluca mesmo.




Mas vamos ao que interessa. Selecionei cinco animações que me fizeram chorar horrores e quando eu falo isso, é como se rios estivessem transbordando pelos meus olhos. Para visualizar os trailers de cada animação, é só clicar no nome de cada um ;)


A diversão e a aventura começam quando uma mulher solitária adota uma pequena e travessa raposa abandonada chamada Tod. Não demora muito e a raposinha conhece Copper, um adorável cachorrinho que se torna o seu melhor amigo. Juntos, eles compartilham muitas aventuras até o dia em que sua amizade é colocada a prova: eles devem mostrar ao mundo que os cães de caça e as raposas podem superar a rivalidade e acabar com os estereótipos das suas espécies.






Era meu filme favorito quando criança. O filme retrata a amizade de dois animais que, naturalmente, são rivais e é angustiante ver todas as situações que eles passam por causa da amizade. O filme tem um segundo filme que, confesso, nunca assisti.


Depois de passar centenas de anos sozinho e fazendo somente o que foi construído para fazer - limpar o planeta - Wall-E descobre uma nova missão (além de pegar bugigangas) quando conhece um belo robô de busca chamada Eve. Ao lado de Wall-E, nesta fantástica viagem por um universo de visões jamais imaginadas do futuro, está um hilariante elenco de personagens. Entre eles, uma barata de estimação e uma heroica equipe de robôs que não funcionam bem.






Acredito que todo mundo que já assistiu, ou pelo menos a maioria, e sentiram os olhos pinicarem ao ver o amor que Wall-E nutre por Eve crescer ao longo da animação e superar qualquer dificuldade e ainda ajuda a salvar toda a população que vivia na plataforma espacial.

O filme relata a história de dois irmãos, Seita e Setsuko, no período da Segunda Guerra Mundial no Japão. O pai deles é convocado a defender o país na guerra, pois faz parte da marinha japonesa, e a mãe falece em um bombardeio de aviões norte-americanos. A partir daí, o filme mostra a luta pela sobrevivência das duas crianças, em meio à pobreza e miséria que assola o país. Fome, doenças e a falta de generosidade e sensibilidade dos adultos faz deste percurso um dos filmes mais bonitos e comoventes sobre o trágico quadro gerado pela guerra.



Quando me indicaram esse anime, eu já fiquei tensa. Nas primeiras cenas, eu já estava devastada, porque eu já tinha criado teorias e elas se mostraram verdadeiras. Eu me identifiquei muito com os personagens, pois eu perdi meus pais e sei como a vida é dura sem pessoas que verdadeiramente nos amam ao redor. É de chorar litros, portanto não indico para pessoas mais fracas e, claro, não recomendado para crianças.


O filme é uma compilação de 3 episódios:“Cherry Blossom Story” Tono Takaki (Mizuhashi) e Shinohara Akari (Kondo) conheceram-se na escola primária e tornaram-se muito próximos. Mas ela, Akari, teve de se mudar com a família para uma região longe de Tóquio. Os dois continuam a trocar correspondência, e um dia é Takaki que se tem de mudar – para Tagoshima, uma ilha situada no Oeste do Japão. Takaki decidi ver Akari pela última vez, empreendendo uma longa viagem de comboio até Tochigi. “Cosmonaut”: Anos depois, em Kagoshima, Sumita Kanae (Hanamura) está apaixonada por Takaki, colega dela, mas este parece ter a mente sempre num local distante. Além de se sentir deprimida por não ser, aparentemente, correspondida, Kanae está indecisa em relação ao seu futuro, adiando a escolha do curso universitário. “5 Centimeters per Second”: De volta a Tóquio, Takaki, agora adulto, debate-se com melancólicas memórias do passado e entra em ruptura com as suas relações sentimentais e laborais. Akari está em Tochigi e prepara-se para viajar. Poderão os dois voltar a encontrar-se em Tóquio?

Esse anime é tão delicado. Fiquei bastante emocionada ao notar que somos tão inocentes quando crianças e a crueldade da vida nos transforma em pessoas completamente diferente.  

É a história de uma garota e um garoto que estão separados por uma parede de vidro inquebrável e eles anseiam por estarem próximos. Foi considerada uma das histórias originais mais tristes do youtube.








Dessa lista, é a animação que mais me fez chorar. O vídeo é simples, mas profundamente tocante e se for uma manteiga derretida como eu, com certeza chorará litros. Se quiser conhecer o trabalho do criador, Mike Inel, é só clicar aqui.

Essas são as animações que mais me fizeram chorar. Tem alguma animação que te tocou tanto a ponto de te fazer chorar? Conta para mim :)


Até a próxima!